Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Astronomia Chinesa



Introdução

A Astronomia é talvez a mais antiga das ciências, tendo surgida basicamente junto com a
humanidade. O desenvolvimento da Astronomia deu-se inicialmente, no mundo pré-histórico, pela necessidade de sobrevivência num ambiente natural e hostil e posteriormente pelo domínio dos conhecimentos sobre as mudanças no ambiente decorrentes da influência dos astros.
 Há registros astronômicos datados de cerca de 3.000 anos a.C. feitas por povos como Egípcios, Babilônicos e Chineses. A relação entre a Matemática e Astronomia sempre esteve presente na história da humanidade desde os primeiros povos.
Em nosso cotidiano utilizamos dados, valores e teoremas como base para cálculos que foram
estabelecidos no passado com observações astronômicas e com a relação entre a Matemática e a Astronomia

Confiança na Matemática

Os chineses utilizaram a matemática como instrumento de análise racional para prever fenômenos astronômicos que não lhe pareciam irregulares, como as posições do Sol, da Lua e dos Planetas, as fases da Lua, os eclipses e outros fenômenos.
No entanto, eles jamais consideraram a matemática suficiente para realizar previsões infalíveis. Ao contrário, pensavam que todo sistema de astronomia matemática preditiva era por princípio limitado e deveria necessariamente ser “aposentado”após certo período de tempo.


Competições Astronômicas


A fim de aumentar as chances de êxito, foram organizadas competições entre sistemas rivais de astronomia matemática.
Então, desde 104 a.C. até 1911, os chineses  reformaram suas técnicas de astronomia matemática 50 vezes (em média uma reforma a cada 40 anos).
Os chineses usavam movimentos uniformes para calcular a posição do Sol da Lua e dos planetas. Por exemplo, pensavam que a longitude do Sol aumentava uniformemente 1 grau por dia, de modo que, ao final de um ano, teriam sido percorridos tantos graus quanto fosse o número de dias do ano.
E como os chineses vinham sempre refinando suas previsões matemáticas... Eles constataram que os movimentos da Lua e do Sol não podiam ser considerados uniformes, daí eles elaboraram tabelas astronômicas para apontar as desigualdades solares. Para os eclipses, abandonaram o sistema de ciclos periódicos e basearam os cálculos em técnicas mais elaboradas,geométricas.
Para a conversão das coordenadas equatoriais de uma estrela em suas coordenadas elípticas ou a conversão inversa, eles utilizaram métodos trigonométricos de origem grega que haviam aprendido com os indianos. No entanto na maioria das vezes ele remetia-se a fórmulas próprias.
Apesar do aumento da precisão de suas observações astronômicas, os métodos matemáticos preditivos dos chineses não eram infalíveis. Para eles, isso se atribuía à limitação dessa ciência: consideravam um absurdo a afirmação que Galileu fez.
“O Universo é escrito em linguagem matemática.” dizia Galileu.
Por causa disso os chineses diziam que leis naturais de tipo matemática não poderiam existir.

O calendário chinês

O calendário chinês  é o mais antigo registro cronológico de que se tem registro na história. É um calendário que se utiliza tanto do Sol quanto da Lua. A partir dele surgiu o horóscopo chinês.
Cada mês pode ter 29 ou 30 dias e o ano tem 354 ou 355 dias. Comporta dois ciclos: um de 12 anos (354 ou 355 dias, ou 12 meses lunares) e um de sete anos (com anos de 383 ou 384 dias, ou 13 meses).
 Os chineses inserem meses adicionais em intervalos fixos para resolver a diferença entre o ano solar (365 dias) e o ano lunar (354 dias).
O ano novo começa sempre em uma lua nova, entre 21 de janeiro e 20 de fevereiro.
 E com o calendário, onde cada ano recebe o nome de um dos 12 animais: galo, cão, porco, rato, búfalo, tigre, gato, dragão, serpente, cavalo, cobra e macaco, surgiu o horóscopo chinês, os 12 signos animais ou subdivisões do mundo (que formam o Astral Chinês).
A partir de 104 a. C., o calendário começou a depender  de cálculos matemáticos constante mentes reformados, isso porque o calendário chinês possui uma estrutura muito irregular: de uma ano a outro, é impossível determinar sem cálculo a duração dos meses lunares, sua repartição, o momento do eventual mês intercalar.

Limites da Matemática


O astrônomo Yixing (683-727) pensava que havia matemáticas falsas que davam resultados válidos e verdadeira com dados incorretos. Outros pensavam que era impossível traduzir perfeitamente as observações astronômicas com como o uso da matemática pois toda observação por mais precisa que fosse, deixava um erro que não poderia jamais ser nulo.
Por exemplo, para eles, as estrelas, fixadas de acordo com os astrônomos da tradição grega, eram obrigatoriamente submetidas a pequenas mudanças de posições percebidas somente a longo prazo. Isso porque mesmo se as observações feitas em um determinado instante forem exatas, não é nunca certo que elas permanecerão assim quando comparadas a observações anteriores ou posteriores.
Para avaliar o fenômeno, os chineses consideravam que o valor médio do ano trópico era sujeito a variações, positivas para o passado e negativas para o futuro, de um décimo de milésimo de dia por século, no sistema de cálculo astronômico da dinastia mongol Yuan, utilizado de 1280 a 1368.


Concepções Diferentes


Como os antigos chineses, os matemáticos estabeleceram limites ao poder da matemática. Gödel (1906-1978) para a lógica, Poincaré (1584-1912) para os sitemas dinâmicos, e muitos outros chegaram a essa conclusão a partir de deduções matemáticas. Mas os chineses pensavam que a matemática, por princípio, era limitada.
Para os chineses especializados em cálculos astronômicos, a matemática não representava a verdade física na sua perfeição divina, mas era apenas um instrumento temporário e aproximativo. Isso porque sempre viram sua previsão astronômica um pouco como nós vemos a previsão meteorológica.
Eles então sempre reformaram seus sistemas de cálculo astronômico, persuadidos da complexidade inerente à Natureza, enquanto os europeus sonharam em reduzi-la a leis simples e definitivas e em encontrar sua verdade última.


Finalizando...
Astronomia e astrologia

Segundo a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, a Astrologia é a "arte de adivinhar o futuro pelos astros" enquanto que a Astronomia é a "ciência que trata dos astros" ou seja sua posição, dimensões, constituição, formação e evolução.
Em civilizações antigas, as duas disciplinas não estavam separadas.Astrologia era apenas o lado religioso da ciência da astronomia.

Um comentário:

  1. ...Estou me nutrindo para uma ida futura ate a China. Obrigado e parabens pelo blog. Grande e fraterno abraco Patricia.

    ResponderExcluir